Bem Vindo!

0

Sua Cestinha

Sua cestinha está vazia!

R$ 249,90Receba frete grátis

Nas compras acima de R$ 249,90 frete grátis

Itens 1 para 4 de 12 total

Definir direção descendente
Página:
  1. 1
  2. 2
  3. 3

Uma das principais caracteristicas do COVID-19 é a grande "explosão" de sinalizações pró-inflamatórias que ele causa no organismos.

O QUE MAIS PODEMOS FAZER PARA SE PREVENIR DO COVID-19?

 

Uma das principais caracteristicas do COVID-19 é a grande "explosão" de sinalizações pró-inflamatórias que ele causa no organismos.

Por isso, caso o indivíduo já apresente alguma doença crônica (hipertensão, diabetes, artrite reumatóide, asma, etc) o risco da infecção ser mais grave é muito maior.

Diante deste cenário, há a oportunidade de repensarmos a respeito do nosso estilo de vida e procurar mudar alguns hábitos não saudáveis, afim de reduzir o risco de uma infecção grave no caso de contato com COVID-19.

Alterações nos hábitos alimentares (se possível buscar orientação de um profissional de nutrição habilitado) pode contribuir diretamente na redução dessa inflamação crônica, gerando mais saúde para o organismo deste indivíduo.

Criar uma rotina de atividades físicas leve a moderada, podem ajudar também na redução das inflamações crônicas, melhorando parâmetros metabólicos e contribuindo para a disposição e o sono deste indivíduo.

Buscar meios naturais para reduzir o estresse e principalmente a ansiedade aumentam os níveis de cortisol. Sabemos que o cortisol alterado diminui a imunidade, deixando este indivíduo mais vulnerável á infecção por COVID-19.

 

Em resumo, há 2 fatores determinantes que definem se esse indivíduo vai apresentar infecção viral, dentre eles destacamos:

 

* CARGA VÍRAL: A quantidade de párticulas vírais que são inoculadas (respiradas/absorvidas) para dentro do organismo.

Este parâmetro não podemos medir ou controlar, apenas prevenir com as orientações de isolamento social, de higiene e o uso constante de máscaras.

 

* CAPACIDADE DA RESPOSTA IMUNE

Neste caso, nós farmácia de manipulação, podemos contribuir de forma direta para melhorar os parâmetros de imunidade do indivíduo e aumentar sua proteção reduzindo os riscos de um enfecção grave por COVID-19.

Para aumentar a resposta imune do indíviduo, quanto mais estímulos diferentes houver melhor será a resposta imune deste organismo.

 

Diante disto, iremos listar algumas substâncias que podem contribuir para o aumento da resposta imune:

 

* VITAMINA C

A suplementação de vitamina "C" dentre outros benefícios à saúde, possui uma atividade antiviral dificultando a entrada dos vírus nas células do organismo e aumentando a atividade das células brancas (células do sistema imunilógico).

Contraindicações: Não há contraindicações relatadas na literatura.

 

* IMUNO TF (Fatores de Transferência)

Composto que suplementa diretamente anticorpos ao organismo, reduzindo o tempo de resposta do sistema imune melhorando as defesas do indivíduo.

Contraindicações: Durante a gravidez ou em caso de uso de imunossupressores (transplantados).

 

* KALMUNE [extratos de andrographis (Andrographis paniculata) e ginseng siberiano (Eleutherococcus senticosus)].

Essa combinação modula a imunidade natural do corpo e combate o processo inflamatório, sendo eficaz no combate de vírus e bactérias, responsáveis por doenças que acometem o trato respiratório superior.

Possui evidente ação imunomoduladora, aumentando a resistência do organismo contra diversos fatores ambientais e emocionais, potencializando os mecanismos de defesa naturais.

Contraindicações: Não há contraindicações relatadas na literatura.

 

* EQUINÁCEA (echinácea purpúrea)

A Echinacea purpurea demonstra atuar com atividade imunomoduladora, o que garante o combate de infecções que atingem o trato respiratório.

Echinacea purpurea é produto ideal na modulação do sistema imunológico, atuando em diferentes vírus e bactérias que atingem o trato respiratório.

Seu uso resulta no controle do processo infeccioso e no alívio sintomático, garantindo a melhor qualidade de vida.

Contraindicações: Pacientes portadores de doenças crônicas como tuberculose, leucose, colagenose, esclerose múltipla, pacientes com vírus HIV positivo, e pacientes em tratamento com imunossupressores.

 

* EPICOR

Trata-se de um produto rico em b-glucanas, vitaminas e sais minerais.

Mantém o sistema imunológico fortalecido e a microbiota intestinal saudável, prevenindo o aparecimento de doenças relacionadas à baixa imunidade.

A rica composição do Epicor representa uma nutrição essencial para o sistema imunológico humano.

Contraindicações: Grávidas e indivíduos que estejam fazendo uso de medicação devem consultar o médico. Pessoas que apresentam doenças autoimunes devem procurar a orientação do médico.

 

* FERRO

Em relação à função imunológica, vários estudos têm associado a deficiência de ferro com problemas na resposta imune do indivíduo.

Alguns autores defendem que a deficiência de ferro aumenta o risco de infecções, enquanto outros sugerem proteção contra microorganismos.

Contraindicações: A suplementação deve ser acompanhada por um profissional da saúde habilitado.

 

* VITAMINA D

Estudos relacionam a deficiência de vitamina D com o aumento do risco de infecções, bem como, a sua suplementação aumenta a atividade das células do sistema imune do individuo.

Contraindicações: O excesso de vitamina D pode causar hipercalcemia (excesso de cálcio no sangue) prejudicando os ossos e sobrecarregando os rins.

 

* PRÓPOLIS

Extraido do mel das abelhas, possui propriedades anti-inflamatórias e antibacteriana. Contribui diretamente para o aumento da resposta imune aumentando a proteção contra agentes causadores de doenças.

Contraindicações: Própolis não deve ser consumido por crianças menores de 1 (um) ano de idade.

 

* NUCLEOTIDES

Certas situações com alta demanda da atividade do metabolismo como estresse, exercício intenso, vulnerabilidade por infecções e mobilização do sistema imune têm influência direta na síntese dos nucleotídeos.

A dieta rica em nucleotídeos demonstra importantes benefícios desde a infância influenciando positivamente no metabolismo de lipídeos, imunidade e crescimento, proliferação e reparação tecidual.

Em outra perspectiva, o intestino é um dos órgãos fundamentais para a manutenção da imunidade, pois participa da defesa contra as agressões do meio externo.

Dessa forma, a função de defesa do intestino depende da barreira intestinal física, do sistema imune (tecido linfóide associado ao intestino - GALT, síntese e secreção de IgA e geração de resposta da célula T helper) e da microflora.

Contraindicações: Não há contraindicações na literatura.

 

* ZINCO

O zinco é essencial para o crescimento, desenvolvimento e função imunológica.

A deficiência de zinco tem profundo efeito nas células do sistema imune, principalmente nas células que vão produzir anticorpos específicos em infecções virais.

Contraindicações: Não há contraindicações para a suplementação de zinco, desde que, respeitando a dosagem diária recomendada.

 

Fontes

Carr, A., & Maggini, S. (2017). Vitamin C and Immune Function. Nutrients, 9(11), 1211. doi:10.3390/nu9111211 

Krishnaveni M. A review on transfer factor an immune modulator. Drug Invention Today, 2013.

MYLES I., DATTA S.  Transfer factor: forgotten, but not gone (MUC2P.934). J Immunol 2015;194( 1 Supplement):65.17

VIZA D., FUDENBERG H.H., ABLASHI D., DE VINCI C., PIZZA G.  Transfer Factor: an Overlooked Potential for the Prevention and Treatment of Infectious Diseases. Folia Biologica (Praha) 2013;59:53-67.

MELCHIOR J et al. Double-blind, placebo-controlled pilot and Phase III study of activity of standardized Andrographis paniculafa Herba Nees extract fixed combination (Kan jang) in the treatment of uncomplicated upper-respiratory tract infection. 2000; 7(5): 341-350.

PANOSSIAN A; WIKMAN G. Efficacy of Andrographis paniculata in Upper Respiratory Tract Infectious Diseases and the Mechanism of Action. 2013

BONFIM C M et al. Patógenos respiratórios frequentes em casos de infecções do trato respiratório em crianças de creche. J Pediatr (Rio J). 2011; 87(5):439-44.  

HUDSON J B. The multiple actions of the phytomedicine Echinacea in the treatment of colds and flu. 2010; 4(25): 2746-2752.

SIGNER J et al. In vitro antiviral activity of Echinaforce®, an Echinacea purpurea preparation, against common cold coronavirus 229E and highly pathogenic MERS-CoV and SARS-CoV. Virology Journal. 2020

www.epicor.com.br (acessado dia 29/05/2020).

Pinto GM. Deficiência de ferro: resistência ou suscetibilidade a infecções. Rer Med Minas Gerais 2008; 18:191-6

Vanherwegen, A.-S., Gysemans, C., & Mathieu, C. (2017). Regulation of Immune Function by Vitamin D and Its Use in Diseases of Immunity. Endocrinology and Metabolism Clinics of North America, 46(4), 1061–1094. doi:10.1016/j.ecl.2017.07.010

de Figueiredo SM, Nogueira-Machado JA, Almeida Bde M, et al. Immunomodulatory properties of green propolis. Recent Pat Endocr Metab Immune Drug Discov. 2014;8(2):85‐94. doi:10.2174/1872214808666140619115319

https://www.galena.com.br/hubfs/IC%20-%20NUCLEOTIDES.pdf?hsLang=pt-br (acessado dia 30/05/2020).

Fonte: Fraker PJ, King LE. Reprogramming of the immune system during zinc deficiency. Annu Rev Nutr 2004; 24:277-98.

 

Leia Mais

Um resumo de informações para proteção e prevenção contra o covid-19.

Leia Mais

Para contribuir com a saúde do coração e do sistema circulatório, a EFICÁCIA FARMÁCIA selecionou alguns ativos para estar auxiliando nos tratamentos convencionais.

Leia Mais

Sugestões da Eficácia para todos os tipos de Pais

Leia Mais

Itens 1 para 4 de 12 total

Definir direção descendente
Página:
  1. 1
  2. 2
  3. 3